segunda-feira, 23 de junho de 2008

Mais um sem nome

Não era rosa a cor dos seus sapatos, era de um tom mais escuro e baço. Com o vestido da mesma cor mas mais esbatida, o cabelo castanho arranjado em cachos gordos e um xale pérola amarrado a cintura. Esperava, sentada, em completo silêncio.
A carteira do mesmo rosa pardo, saco monumental onde cabiam duas pessoas de pé, estava atirado ao lado da cadeira, aberta, desarrumada.
Tinha um ar frágil, franzino, com mãos magras e pés pequeninos. A cara ossuda estava maquilhada de forma elegante, realçando os lábios gordos e os olhos negros. Sentada numa pose desmazelada e distante, esperava impaciente.
Os dedos magros enrolavam o colar de pérolas que trazia ao pescoço, fazendo e desfazendo nós vagarosamente.
A sala de espera era de um azul morto, quase branco, mais parecia sujo do que cor, com sofás limpos de um tom amarelo torrado e uma carpete do mesmo azul sujo das paredes. Grandes janelas deixavam entrar a luz do fim do dia, filtrada pelas folhas verdes das árvores da avenida.
O médico entrou, olhou-a nos olhos e ela saiu.
Passou pela recepcionista sem lhe dar atenção.
Passou pelo porteiro que lhe desejou um resto de boa tarde, mas ela não respondeu.
Lá fora o zum zum dos carros encheu-lhe os ouvidos, os fumos dos escapes encheram-lhe os pulmões e ela sorriu.
Porque sorria ela?
Desamarrou o xale da cintura, lançou-o sobre os ombros e caminhou de regresso a casa, ensaiando mais sorrisos.

10 comentários:

Abobrinha disse...

Joaninha

Não entendo: não há comentários? Eu gostei! Especialmente da parte da bolsa em que cabe tanta coisa: gostava de ter uma dessas.

Joaninha disse...

Abobrinha

Hehehe,

tenho que tirar umas fotos as minhas sandalias novas é o que isso quer dizer ;)

Karin disse...

Pois, fotos das sandálias é o que está a dar.:)
bjs

Joaquim Simões disse...

Joaninha:
Este seria um óptimo conto para uma colectânea zen! Satori é um título que lhe assentaria muito bem, quanto a mim. Parabéns!
Vá, quero mais!

antonio disse...

E eu é que nunca acabo as minhas histórias?
Logo quando eu pensava que esta não ia caber na bolsa, ao lado da cadeira...

Joaninha disse...

António meu caro,

Mas esta é para acabar, mais, vai ter um twist especial, depois explico.

Karin os teus pedidos são ordens neste blog :)

Joaquim,

Uma coletanea Zen, gosto da ideia...

Abobrinha disse...

Um twist especial? Não me digas: vais meter duas pessoas de pé dentro da bolsa! Não? Oooooh! Já não compro uma bolsa dessas! Não recebes comissão.

Joaninha disse...

Abobrinha,

É mais ou menos isso, ou seja envolve duas pessoas...Mais não digo ;)

Abobrinha disse...

Joaninha

Tudo o que envolve duas pessoas faz bem (mas pode engordar). Mais que duas pode ser complicado, mas ao menos há mais "cumbíbio".

Krippmeister disse...

The plot thickens...