segunda-feira, 9 de junho de 2008

Desalento.

Há dias que nos sugam as palavras como os vampiros os preciosos líquidos vitais do corpo. Em que estar mudo em frente ao teclado parece mesmo o fim de tudo.
Estou muda em frente ao teclado, algo me suga a inspiração, deixando-me os dedos ansiosos pulando sobre as teclas furiosos, mas sem escrever uma única frase.
São sempre as mesmas maçadoras palavras monocordicamente tecladas com afinco mas sem rasgo, sem força...São como um canto belo, mas mal cantado, por uma cantora bêbada e desafinada.
Sugam-me as palavras, sugam-me o génio que não tenho, e de valer pouco passo a não valer nada.
Dá-me raiva, escrevo, apago, escrevo, não escrevo, escrevo nada, milhões de nadas em folhas em branco. Porque o branco é nada. E o nada é branco.
Não valer nada, não vale muito aos olhos dos outros mas vale muito aos meus desvalorizados olhos. Quero mais mas não tenho mais para dar, porque sempre tive pouco e o pouco que tinha acabei de o esgotar!
O melhor é desistir, o melhor é desistir...Mas não sei como.
Não quero mais saber, nem que me façam mais perguntas, quero só embrulhar-me no meu desalento e desaparecer. Mas agora me lembro, não posso, tenho tempo, não sei para que serve, mas o melhor é vive-lo sem grande arrependimento, afinal para que serve o estupor que se estende ainda que finito á minha frente?
Quer que o viva, então terei de o viver. Mas vive-lo seria bem mais fácil se não me sugasse de forma parasitaria o pouco de génio que tenho, e me desse menos uso à loucura de que sofro, não em silêncio, mas visível em toda a sua escarninha presença.
Fica dito, talvez de maneira tresloucada que estou inspiradoramente esgotada.
Não tenho culpa, a culpa é do momento no tempo em que escrevo, sem escrever grande coisa, tentando deixar em branco este pequeno desalento, tão desalinhado como as madeixa do cabelo despenteado do tempo com que fui, não muito justamente, presenteada.

13 comentários:

Requiem disse...

Li, reli e tornei a ler.
Não percebi nada!
Sushi?! :) :P

Agora a sério.
Deixa-te de desalentos que disso está o mundo mais que cheio.

Osvaldo Lucas disse...

Eu que nem gosto de poesia, romances e afins...


4 estrelas!!

antonio disse...

??? Donde saiu este texto? Ai, quero saber!

Mas quero mais destas páginas em branco, deste nada, quero colocar no meu CD, em altos berros, este canto bêbado, de dedos desafinados e trémulos. Quero mais dessa raiva que se transforma em nada.

O tempo, esse teclado solto e bêbado sobre o qual se escreve a nossa vida, passa quando menos esperamos e nele só podemos flutuar, submergidos, se viermos à tona, afogamo-nos em todo esse imenso vazio que o rodeia. Não vivemos o tempo, apenas o respiramos.

Tudo o resto é vazio, sem sapatos de salto alto.

Krippmeister disse...

Tirar esta inspiração do desalento desinspirado é um feito notável. Sempre que tiveres os dedos a teclar furiosamente, mesmo que coisa nenhuma, é deixá-los.

Beijão

Joaninha disse...

Requiem,

SSSSSushiiiiiii!! sempre :)

António meu caro,

De onde saiu? da minha cabeça. Porque saiu isso é que já não lhe conto, pelo menos por enquanto. Até porque tambem não sei muito bem, por enquanto...
Terá mais provavelmente, pelo menos até eu descobrir :)

Osvaldo,

A isso é que eu chamo um elogio! :) Obrigada.

Krippa,

O desalento como inspiração...O problema é que não me sinto inspirada de todo, talves tenhas razão a minha falta de inspiração inspira-me.

Meus caros acho que estou a precisar do meu fiel companheiro X 0.5g.

Bom feriado a todos

joshua disse...

Olá, Joaninha!

Aquela/esta joaninha do meu texto, como todas as imagens que selecciono para dialogar com os meus textos, motivá-los e marcá-los, foi deliberada, foi intencional.

Cumpre um papel de contraste irónico e tragicómico com o tipo de personagem que nesse texto evoco, o prostituto, escravo de uma procura masculina e o gay, ainda que equivocado ou controveso ou revolvido gay: imagem esvoaçante e delicada, afemeada e máscula, macro e minúscula, minúscula uma vez que de tanto ninguém a querer ver e assumir dentro de um mundo bem amplo e bem lato como que desaparece do ângulo de observação de todos.

E afinal, concordarás comigo, o insecto às pintas afinal é uma partida apalhaçada e engayscecida da Natureza e é claramente uma forma peculiar de trajar Natural que um bom travesti, uma dragqueen, subespécies artísticas da espécie e forma de ser humano de que estamos a falar, talvez assumissem.

Enfim, na escolha da imagem pensei também em ti, no quanto te interrogarias por ter escolhido esta/aquela joaninha e de como até essa possibilidade de interrogação, puzzle e enigma, tudo isso, enfim, faria e faz parte do jogo dos múltiplos sentidos densos que escrever da vida e i.ma.gi.ná-la há-de representar para quem ama a literatura.

PALAVROSSAVRVS REX

Anónimo disse...

Se a falta de inspiração também te inspira, não é nada mau.:)
Mas por defeito profissional não resisto em dar-te um tema para comentar da próxima vez que te apetecer escrever e não tiveres ideias:
"a população mundial aumenta exponencialmente de dia para dia. Logo, a estupidez propaga-se melhor." G.Grass.
Bjs Karin

António Inglês disse...

Bom dia de Portugal, de Camões e das Comunidades.
Antes de mais quero pedir-lhe desculpa por este meu silêncio, mas vi-me obrigado a isso pois necessitei de "purificar" os meus comentários e as minhas intervenções pela Net.
Durante uns dias, "alguém" menos correcto se fez passar por mim com comentários menos abonatórios em outros blogues.
Tu está sanado, penso e acredito que sim pois também alguns comentários que me apareceram mas que não publiquei, acabaram por desaparecer. Tudo isto sob o anonimato claro que é apanágio dos cobardes que têm este tipo de comportamento.
Nada mais se passou e lamento ter tido esta necessidade.
Está tudo identificado creio e acredito que a normalidade está reposta.
No entanto o meu tempo também é muito menor e por isso vou andar menos por aqui. Certamente que não deixarei de a visitar.
Um grande abraço e obrigado pelo seu cuidado.
António

Krippmeister disse...

António,

Se queres canto bêbado aos altos berros, compra o cd da Amy Whinehouse.

Abobrinha disse...

Joaninha

Na volta precisamos de ir as duas a um SPA e ser mimadas até ao tutano. E ver o "Sexo e a cidade" como deve ser. E comprar sapatos... isso inspira qualquer uma (ou só experimentá-los, que a vida está cara e o dinheiro não estica para tudo).

Joaninha disse...

Meus caros, bem melhor agora, com a companhia do meu fiel X 0.5 (um dia explico, se quizerem adivinhar estão á vontade)

Karin,

Agora é que estragaste tudo fiquei mesmo com a frase na cabeça, vai dar post de certeza.

António,

Há sempre anormais desses na blogoesfera, é ignorar, não valem o ar que respiram :)

Abobrinha,

Comprar sapatinhos é sempre motivador e inspirador tens razão volta e meia o que eu necessito é de me dedicar a coisas futeis por uns tempos.

Josh,

Eu entendi a mensagem subliminar da Joaninha (tens razão quanto a brincadeira da Natureza!)
Queria só explorar mais um pouco, sabendo a tua intensão, medindo-a com a minha interpretação, para ver se batia uma com a outra, bate, adorei. Mas eu sou uma fã dos teus desabafos nocturnos, já sabes disso e não, não vou insistir mais contigo sobre a publicação. No entanto e como fã de literarura, (da boa) digo-te que tens um extraordinario talento, que transmites emoções de uma forma sublime. Montas cenarios de uma forma extraordinaria e tens uma escrita emocionalmente poderosa que sem ser facil é ao mesmo tempo, olha como uma cara expressiva, diz muita coisa, mesmo quando não se entende tudo. Espero um dia conseguir o mesmo.
Sinto-me honrada de teres pensado em mim e nos meus dois neuronios :)

alf disse...

estou a ler este post atrasado, já li o seguinte, e se calhar até li pela ordem certa.

cá para mim, ao teu talento falta agora apenas o conteúdo. Não o desperdices a falar de ti a não ser como exercício, porque ele vai servir para transmitires a tua sabedoria. Como um Saramago.

Qual sabedoria? perguntas.

a que vais obter no tempo que te foi dado. Não querias nascer sábia pois não? Vais obter mais sabedoria que a generalidade das pessoas, se não a obtiveres para que te servirá o talento?

Por isso, não percas tempo. Esquece o 0,5g, não vá atrapalhar o teu caminho, e lança-te à vida. Precisas de todas as tuas capacidades para experienciar e descobrir a vida. Sobretudo para descobrir e entender as pessoas. E a ti.

Paulo disse...

Eu não estou desalentado. Mas estou preocupado lol

Já não tenho essa inspiração há algum tempo lol e permanece....

Enfim

beijo