terça-feira, 22 de abril de 2008

Miguel Cervantes - D.quixote

Pablo Picasso

Miguel de Cervantes

(Alcalá de Henares, 1547 - Madrid, 1616)

Escritor espanhol. É filho de um modesto cirurgião. De formação autodidáctica, aos vinte e três anos é soldado em Itália; toma parte na Batalha de Lepanto, na qual perde uma mão (1571). Em 1585 publica a sua primeira obra, La Galatea, romance pastoril. Em 1605 publica a primeira parte de O Engenhoso Fidalgo Dom Quixote de la Mancha, sendo imediato o seu êxito literário. Os últimos anos da sua vida são caracterizados por uma intensa produção criativa: Novelas Exemplares, Viaje del Parnaso, a segunda parte de Dom Quixote, Ocho comedias y ocho entremeses, e um romance de aventuras em que trabalha até à morte — La historia de los trabajos de Persiles y Sigismunda. Em Miguel de Cervantes, representante máximo das Letras de língua castelhana, confluem todos os géneros novelescos até então cultivados: o picaresco, o pastoril, o mourisco e o cavalheiresco. Como poeta, cultiva quer a poesia italianizante quer a tradicional. A sua obra principal neste domínio encontra-se nos sonetos e, particularmente, em Al túmulo del rey Felipe en Sevilla. Como autor dramático, destaca-se pelo tom humorístico de pequenas peças como El retablo de las maravillas ou La cueva de Salamanca. Deve referir-se também a sua tragédia Comedia del cerco de Numancia, que só é publicada em 1784, sendo hoje considerada uma das melhores tragédias escritas em castelhano. (biografia tirada da internet)

Neste caso não é o fascínio por toda a sua obra, mas pelo simples facto de ser autor de um dos melhores livros que alguma vez foi escrito.
Eu li picada pela seguinte frase: “Se ainda não leste o D. Quixote ainda não leste nada”, não digo quem me picou, mas é meu tio ;)
Não estou aqui para picar ninguém, longe de mim, mas se ainda não leram....leiam!




8 comentários:

Krippmeister disse...

Eu aparentemente ainda não li nada. Ter visto os desenhos animados conta?

:-)

Allanah disse...

Lol, por acaso tb nao li, mas gostava de ler. Não entendo é o que e que te anda a passar na cabeça para fazer posts destes... Mais um que não li... so sei que é sobre o cervantes! Eu andei no instituto Cervantes, conta?

Abobrinha disse...

Joaninha

Uma amiga espanhola (com quem perdi o contacto) disse-me que não tinham lido D. Quixote na escola porque era complicadíssimo e denso demais. Pior: parece que o livro não tem figuras!

Mas de facto os trintões têm a vantagem de ter visto os desenhos animados!

Não está na minha lista de leituras prioritárias, mas está anotado! Tenho alguma dificuldade em ignorar o que diz uma moça com umas pernas tão jeitosas... isso e homens de olhos de gato são um problema!

joshua disse...

Tive uma edição miserável, cheia de gralhas e erros de tradução. Mas ainda assim, resisti e li. Mas os escolhos da má qualidade que referi, magoaram-me profundamente a leitura.

Tive Literatura Espanhola na FLUP e, claro, lemos excertos de todos os clássicos espanhóis. Las Novellas Ejemplares e, nelas, El Celoso Extremeño, são e serão sempre inesquecíveis.

Obrigatório também La Celestina, de Rojas.

PALAVROSSAVRVS REX

Joaninha disse...

REX, que bom ver-te!
Pois eu tive direito a uma boa versão o que me ajudou realmente. Ficam as tuas sugestões que vou tomar nota ;)

Krippa,

Pois os desenhos animados não são bem a mesma coisa, quando tiveres tempo lê o livro vale mesmo mesmo a pena...

Allanah,
Claro que não conta! Lê o livro ó calona!

Abobrinha,

Minha linda, lê o livro que vale mesmo a pena é das coisas mais bonitas que já li, e acho que tu vais adorar!

antonio disse...

Um projecto adiado, algures numa mesa de apoio...

Allanah disse...

Pk e que a abobra é minha querida e eu sou "oh calona"??? AI AI AI!

Abobrinha disse...

Allanah

A idade é um estatuto. E depois, eu tenho olhos de gato...