segunda-feira, 1 de setembro de 2008

A Alice.


Um gato sorriu para a Alice,
E a Alice sorriu para o gato.
O que fez com que o gato não visse
Que a Alice escondia um rato.

Alice seguiu seu disfarçado caminho,
Até estar bem longe do gato felino.
Poisou no chão o frágil ratinho,
Que magicamente virou um belo menino.

Se não fosse a boa da menina Alice,
Que o escondeu sem que o gato o visse,
O menino que fora por feitiço feito rato,
Teria caído nos dentes do gato.

29 comentários:

Krippmeister disse...

Não foi o gato a comer o menino mas foi a Alice. Saíu-se bem : )

Muito giro o texto. É daqueles que sabe bem ler em voz alta.

Joaninha disse...

Krippa,

Giro, giro está o desenho não é senhor artista!?

Gracias :)

beijos

antonio - o implume disse...

Eu também sou um ser frágil dependente da minha Alice...

Joaninha disse...

A serio António?

Salto-Alto disse...

Adorei!!!!! O texto E a imagem! A excelência tem destas coisas! :)

Bejinhos e parabéns, adorei!

Joaninha disse...

Salto,

Obrigada linda.

O desenho é que perde um bocado por estar tão pequenino, não se nota o pormenor que é excepcional.

Mas podes ver em grande na galeria do artista eu mando-te o llink se quizeres.

beijos

Krippmeister disse...

Obrigado salto. Obrigado Joaninha. O ego do artista está eufórico com os elogios, mas o artista quando fica corado parece um fósforo : )

É um prazer ver um desenho meu a ilustrar os teus belos textos.

mundo azul disse...

Que graça!!!
A doçura dançando em seus versos...


Beijos de luz e o meu carinho!!!

Perla disse...

Existem mesmo meninos, que são assim uns ratinhos!...
Ai se não fossem as Alices, essas anjos da guarda!!! e o gato anda sempre à caça... Cuidado com ele!!!

Perla disse...

Ah!
Esqueci-me de dar os parabéns ao artista do desenho... Está bom!

Krippmeister disse...

Obrigado Perla :)

cacau disse...

a minina tem jeito para a poesia! parabéns ;) ja pensaste escrever um livrinho de poesia para crianças? beijinhos

Rafeiro Perfumado disse...

É impressão minha ou há um forte cunho sexual nesta história?

Joaninha disse...

Rafeiroso!

Será? Talvez sim, talvez não :)

Beijos!

Mundo azul

Obrigado pela visita, são sempre frescas as suas passagens por aqui.

Cacau,

Bem vinda ao joaninha!
Obrigada pelo elogio.

beijos

Perla

Tens razão, não fossem as alices e o que era desses meninos :)
beijos

Blondewithaphd disse...

Ok, vou confessar um segredo: abomino a Alice (a da versão original). Nem sei o que é que aquilo pode ter de tão extraordinário. Andei por Oxford a fazer o percurso da Alice, fui à casa da Alice, li o livro na versão originalíssima e... nada! Mas vocês captaram-lhe a verve nonsense, I'm impressed (and I don't get impressed by Alice!).

Joaninha disse...

Blonde,

Ok pessoal impressionei a blond, meninos agora se faz favor há que tratar aqui a Joaninha com muito respeito!

Blonde, vindo de ti considero um elogio a ser levado muito a sério :) Obrigada!

PS: Eu tb não sou grande fã da Alice, não desgosto, mas efectivamente há bem melhor. mas adoro o gato :)

Beijos

Perla disse...

Joaninha,
sobre a questão que me levantaste, aquela frase pode não fazer muito sentido para quem lê, mas para mim, é uma das frases chave, se não a principal, de todo o poema... [família ;)]

Obrigada pelas visitas

Beijinhos

Blondewithaphd disse...

Espero que o leves a sério, mesmo e que ponhas este post num sítio em que não se eclipse.

Quanto à Alice, o problema é que, em questões de nonsense literário não há, de facto melhor. É uma obra-prima e a cabeça do Lewis Carrol era genial (ele era matemático em Oxford, sabias?). Eu é que vomito aquilo e não lhe acho piada nenhuma, nenhuma.
No vosso trabalho, gostei do gato, plasma o original e é assustador ( gato, óbvio) e o teu poema, que não é o nonsense absoluto, porque o rato até era um menino e isso vai buscar outras leituras, é de digestão muito difícil. No meu caso, é mesmo indigesto. Por isso, acho que conseguiram captar o espírito da coisa. Pelo menos o post causou-me o mesmíssimo desconforto que o raio da Alice, ugh...

Joaninha disse...

Blonde,

Eu logo vi que o gajo era matematico! Só podia, para escrever um livro daqueles :)

A intenção quando escrevi isto, era mais tentar passar a imagem do Krippmeister a texto...O ambiente do desenho, um pouco tetrico, assustador, mas inocente...

Até porque acho das melhores ilustrações da Alice que conheço.

não sei como dar destaque ao post, fica lá no meio dos outros...Bom
Acredita que vindo de ti, fico com o ego nas alturas porque sei que é muito honesto o comentário...

Maria Manuela disse...

Em suma, a alice foi uma fixe.

:D

Carol disse...

I'm back!!

O desenho está lindo e a texto divinal! Gostei muito!

Peregrina disse...

hehe Que bonito, o texto e a ilustração! *

Allanah disse...

Muito, mas mm muito giro!
Quero um livrinho deste tipo de coisas com ilustrações para a Gabriela!!! :)

Krippmeister disse...

Pela parte que me toca, sinto-me muito honrado de ilustrar textos da Joaninha. E muito feliz de saber que gostam da bonecada.

Allanah, esta ilustração é de uma série de 5 ilustrações sobre histórias infantis, mas com um tom mais negro a nível visual.

Para além da Alice há também o Corcunda de Notre-Damme, uma cena da Branca de Neve, Capuchinho Vermelho e uma outra qualquer de que já não me lembro o nome, mas que na altura fazia todo o sentido :)

alf disse...

Duplamente bem ilustrado, pela imagem e pelo texto; o texto mais centrado na Alice e a imagem no gato, cada um retratando muito bem a «atmosfera» que a cada uma destas personagens pertence. Parabéns a ambos.

Remelas disse...

Um sapo sorriu para a Remelas,
E a Remelas sorriu para o sapo.
O que fez com que o sapo não visse
Que a Remelas escondia uma Ranhoca.

No inovar é que está a paragem no futuro!

Joaninha disse...

OK Remelas,

Eu não sou muito inteligente vais ter de me trocar isso por miudos...

beijos

Remelas disse...

Não troco por miudos, só gosto de graúdos!

Não gosto de moelas, agoniam-me!

Krippmeister disse...

Ranhoca e Ramelas? Desconfio que o sapo vai deixar a parte de voltar a ser transformado em príncipe para mais tarde...