segunda-feira, 27 de abril de 2009

A Ti Helena!

Tivesse eu voz, das tantas vozes que em mim cantam e que de mim abusam, para te cantar.
Tivesse eu uma única voz, das imensas que me constroem, passível de cantar o vazio da tua ausência, e nasceria neste momento o mais sublime hino, a mais gloriosa ode à humanidade escrita em toda a história, em toda a parte.
Porque narrar-te doce Helena, narrar-te seria, se em mim houvesse voz que para tal tivesse o necessário timbre e melodia, contar humanidade, narrar vida.
Historiar os teus gestos, pintar as tuas cores, falar das tuas dores. Helena, de Tróia, da vida, da tragédia filha, materno ser de desgosto sentida...
A verdade é, bela Helena, que não tenho em mim voz que te narre, todas as minhas vozes são mudas. Fico-me assim no silêncio, esperando que este, que tantas vezes por mim narrou o inenarrável, testemunhe aquilo que não tenho voz que diga ao mundo.
A Deus, A Ti Helena!

19 comentários:

O Sousa da Ponte disse...

Este estilo é completamente diferente. gostei mais do outro.

Mas ...e a história completa

O Sousa da Ponte disse...

Se entretanto tiveres pachorra se copia o link e podes ler alguns disparates sortidos do Sousa

Esta é a terceira parte mas tem links para as outras.

E eu tenho a lata de publicar os textos completos :)


http://osousadaponte.blogspot.com/2008/11/mais-disparates-sortidos-escritos-pelo.html

O Sousa da Ponte disse...

Já que agora :

Porque não escrevermos um capitulo cada um e o outro continuar ?

até se calhar saia giro

Joaninha disse...

Sousa meu caro,

Etse não tem qualquer relação com o outro...Este é para a Helena que nos deixou...

O Sousa da Ponte disse...

Ops...sorry...


Os meus sentimentos

Krippmeister disse...

Os meus sentimentos a todos os que sofrem com a perda. Só a tremenda infelicidade estúpida da situação é suficiente para deixar qualquer um abalado.

antonio - o implume disse...

As partidas fazem-se de dor e para a dor a única voz possível é o grito!

Daniel Santos disse...

No sentido... correcto.

O Sousa da Ponte disse...

O Sousita lamenta imenso não ter percebido, por vezes tenho a sensibilidade duma tarântula com spm, que o post não era mera literatura mas algo de mais sério.

Mea culpa, embora nada o indicasse.

Não sei nem imagino quem fosse a Helena, mas dadas as manifestações de apreço pela pessoa só me resta dizer que :

Fosse quem fosse, com os defeitos que porventura teve, quem tão fieis e sérios amigos teve algo deixou neste mundo.

Que os meus, que já lá estão, e a tal Helena que não conheci, e -já que agora eu- um dia deixemos neste mundo uma marca que mereça algo parecido com a tal Helena, que não conheci em vida, mas que me parece simpática.

-Muito prazer Helena, não te conheci em vida, mas, após a morte - a tua morte - ouvi falar de ti e gostei.

- Lá te espero, sem assim muita fé, mas certo, que lá estarás.

Muitas cusquices farás destes gajos todos, com este teu recente amigo, que já muito te estima.

-e, ai as cusquices que faremos deles.

Lamento imenso ter confundido literatura, barata como convém a um blog, com o que foi muito mais do que isso.


Lamento imenso se faltei ao respeito de alguém mas vi tanto carinho e amor por alguém que não resisti a escrever o que escrevi.

É muito mais que fodido ter alguem que amamos e que morreu.

Blondewithaphd disse...

Linda, gostei (saiu-te bem) mas num percebi se a Helena é fictícia ou real. A ser real só te digo que é uma grande Helena!

Joaninha disse...

Loira minha querida,

A Helena é muito real...

beijos.

Sousa,

Se há caracteristica que eu adorava na Helena era sem dúvida nenhuma o seu acutilante sentido de humor...Ela perdoar-te-ia, claro, a falta de sensibilidade...Que não foi nenhuma, afinal eu escrevo muita literatura barata, a confusão é perfeitamente natural.

beijos

Daniel e António obrigada aos dois.

Krippa,

Um beijo meu amigo.

Elisabete Alves disse...

Quem por ti cruza, e que consegue entrar "sem pedir licença", que permanece em ti mesmo que não lhe o digas. Encontrará um lugar que só tu sabes onde se encontra.

Aí estará certamente a Helena.

Ferreira-Pinto disse...

Lamento a perda!

manuel gouveia disse...

A separação é uma partida, a dor, essa agarra-se como se fosse um castigo!

Anónimo disse...

Lindo texto e muito sentido.
Mtos beijinhos
Tia Guida

Salto-Alto disse...

QUE LINDO! A sério, sou oficialmente tua fã!

Joaninha disse...

Tia Guida,

Obrigada...beijos

Saltinho minha querida, que honra! mas olha que és a única :)

beijos

Carol disse...

Lamento muito a tua perda. O texto está muito bonito (as usual).

Anónimo disse...

Joana, norinha querida, li hoje...
E chorei hoje
Beijinho
Tia G