quarta-feira, 5 de setembro de 2007

Louca.

Vivo de olhos abertos, caminhando á beira do penhasco, sou louca e vivo loucamente.
Furiosamente enlouquecida pela beleza que me cerca a vida, caminho sobre as pedras afiadas e não sinto nada.
E se sentisse não o diria, porque sou feliz assim.
- É louca - dizem – Sou louca – Respondo, sou feliz.
É, sou feliz assim, com a minha loucura, tenho os pés sangrando, a alma espiando mil pecados, o corpo a cair aos bocados, mas o coração, o meu coração bate forte.
Porque será que amo viver?
Porque sou louca, só pode ser.....

6 comentários:

Abobrinha disse...

Joaninha

Este é o típico post de gaja! Não era uma queixa! Ainda bem que és louca, nesse sentido!

Joaninha disse...

Abobrinha,

Mas eu sou gaja, daí o post de gaja:)
Sou louca daquelas com direito a tratamento psiquiatrico e tudo, por isso não te admires muito se ouver mais post sobre a minha loucura:)

Krippmeister disse...

Caminhar sobre pedras afiadas à beira dum penhasco não é a ideia mais brilhante que se pode ter, mas é precisamente esse tipo de loucura que nos faz sentir vivos.

Abobrinha disse...

E estar vivo é o contrário de estar morto.

E não estar morto é bem mais fixe que estar morto.

Mesmo porque não temos a certeza de como será estar morto.

Ou se haverá algo depois de estar morto.

Daí estar vivo até é fixe.

(...)

Este foi um momento "My name is Earl"

Joaninha disse...

ahahahaha!!
És mesmo doida abobrinha!!!

miguel disse...

Eu devo ser louco por te amar, louco por gostar de te ver viver, louco por te ver feliz.

No meio dessa tua loucura, desse teu sentimento de liberdade total, de poder mandar todos dar uma curva e fazer o que te apetece, existe uma joaninha frágil, dedicada e sempre a pensar nos outros (pelo menos em dois homens e num sem numero de cães)

Goto de ti assim, linda e louca, livre, feliz e de sorriso na cara.