terça-feira, 6 de abril de 2010

Saudade by José Maria CC

Esmaga
Dilacera
Esmaga
Vibra
Flutua amarga
dilacera
destrói

Saudade ,saudade
martela
tela vazia
deserta fantasia

Dilacera
esmaga
apaga
esmaga
dilacera
flui como ruído
sensato terremoto
sem sentido

Agonia
amarga ironia
imagem desta imagem
viagem
como dantes
em verde mar
ainda

Quando cotovias cantavam
e não havia ondas .

7 comentários:

Krippmeister disse...

Não tens o teu papá agrilhoado na cave a escrever poesias a toque de chibata não?

Um belo texto :)

alf disse...

quando chegares aos sentimentos positivos eu comento rsrsrs

antonio - o implume disse...

Saudades do tempo em que vagueavas por este espaço como uma alma penada...

Blondewithaphd disse...

Hm... não acho que a saudade seja assim tão esmagadora e dilacerante, é mais uma coisa para o morno, o nostálgico agri-doce...

Krippmeister disse...

Isso é depois de um tempo blonde. A princípio tende ser saudade em tom de desespero, daquela que até doi.

Ninja! disse...

Gosto sempre imenso de vir ao teu blog, é sempre um prazer ler. :)

Rafeiro Perfumado disse...

A cena das cotovias e das ondas é que me tramou...